sexta-feira, 14 de março de 2014

Paternidade/Maternidade responsável

At. 9:11-20

Tão importante quanto gerar é cuidar.

O que você sentiria se soubesse que uma mulher deu à luz a um a linda criança, mas que por algum motivo ela não pôde cuidar dela e abandonou, logo depois de nascer, ao relento, à própria sorte? Imagine ainda que o lugar esteja cheio de cães ferozes espreitando aquela criança e ela agora está chorando de fome e solidão. Isso não o faz sentir revoltado? Mas a historia ainda não acabou. Depois de chorar e gritar convulsivamente, por horas a fio, aquele bebê entra num estado de prostração e tristeza. A fome é tamanha que ela tem alucinação de que está se alimentado. Se nenhuma fera a devorar, é certo que morrerá, lentamente, esquecida no mundo.
Você certamente está tomado de uma ira explosiva misturada com uma angustiante compaixão. Você está se perguntando: “Quem seria capaz de tamanha atrocidade e desumanidade?”

A resposta a essa questão talvez o surpreenda, mas tal pessoa é VOCÊ.

- Mas eu nunca faria algo assim! – você diz.
- Você fez, a cada vez que ignorou os bebês de Cristo (Novos Convertidos) que foram gerados na Igreja, nos evangelismos, nas células, etc.
- Ah, bom! Mas, isso é completamente diferente – você replica. As coisas espirituais não são tão importantes assim.
Infelizmente, esse é o conceito da maioria dos membros da igreja. Para eles, basta pregar ou levar visitante ao culto. Eles não os veem o novo convertido como um bebê extraordinariamente frágil, que está exposto a todo tipo de cães espirituais e que necessita urgentemente de alimento espiritual. Tal bebê espiritual, assim como o natural, necessita de alguém que cuida dele. Alguém que traga proteção, alimento, amor e aceitação.

O que é ser um consolidador
Ser um consolidador é ser um amigo, um companheiro que estenderá a mão e susterá o novo convertido nos primeiros passos da vida crista. Você foi escolhido por Jesus para essa tarefa fascinante. É preciso enxergar a consolidação como um compromisso inadiável! Agora você é o irmão mais velho, desse novo membro da família de Deus.

Como Deus vê o irmão mais velho na família.
- Mas eu sou responsável por cuidar de meu irmão?
Essa foi exatamente a resposta que Caim deu ao Senhor, em Gênesis 4.9. Deus perguntou a ele: “Onde está Abel, teu irmão? Ele respondeu: não sei; por acaso sou guardador de meu irmão?”
Deus está nos perguntando: “Onde estão os Josés, os Joões, as Marias e os Pedros? Aqueles que foram feitos teus irmãos? “Espero que a resposta não seja como a de Caim. Você e eu somos guardadores de nossos irmãos. Nós somos responsáveis por cada pequenino que se converte em nosso meio. Nós iremos prestar contas de todos os bebês espirituais (Novos Convertidos) que pereceram em nosso meio, simplesmente porque não houve quem guardasse suas vidas. Não seja como Caim que foi um homicida. Ignorar as necessidades espirituais de um novo convertido é ser um cúmplice ou um homicida espiritual. Você pode estar permitindo que eles não cumpram com propósito do Senhor para a vida deles.

No Novo Testamento, temos muitos exemplos de irmãos que foram guardadores do rebanho. Talvez o exemplo mais marcante seja o de Ananias, que foi alguém que acolheu e guardou a vida do apostolo Paulo, nos seus primeiros dias de convertido. Ananias nem imaginava quão longe iria aquele novo convertido, a que estava consolidando. É possível que muitos desses novos irmãos que estão próximos de você hoje sejam os apóstolos das próximas gerações. Você já ponderou essa responsabilidade? Você pode estar matando o mover de Deus da próxima geração, simplesmente por não guardar os que hoje são os bebês em Cristo (Novos Convertidos).

Texto retirado da internet (adaptado)

Nenhum comentário:

Postar um comentário