História: quem somos?


História da Fundação da Igreja Metodista em Benfica

Em 1956 o pastor da Igreja Metodista Central de Juiz de Fora, o Rev. Lair Gomes de Oliveira e alguns crentes residentes em Benfica pediram para que fossem realizados em suas casas cultos de evangelização. Votada pela assembleia da Igreja, realizada no dia 2 de março de 1957, sob a presidência do jovem Wilmar Magalhães, a proposta do Superintendente do Departamento de Missões e aspirante ao ministério, o senhor Onofre José de Freitas, foi criada a Escola Dominical “Martinho Lutero” em Benfica.
No domingo, 3 de março de 1957, foram a Benfica para decidirem com os crentes locais a cerca da organização da Escola Dominical e o local que a mesma deveria funcionar. A primeira residência visitada foi a do irmão Antônio Alvim, que ofereceu a sua casa para que se realizasse ali a Escola Dominical que meses depois, foi transferida para a residência do irmão José Ernesto Assumpção Filho, sob a orientação do Rev. Manoel S. do Nascimento.
Neste domingo visitando alguns irmãos, foram à casa do irmão Jorge Felício, em companhia do irmão Antônio Alvim. O senhor Jorge mostrou-se otimista a respeito da Escola Dominical, colocando o nome de seus filhos para serem arrolados como alunos.
Foram para a casa do irmão Geraldo de Oliveira Souza e o otimismo foi geral em relação ao trabalho. Seguiram para a casa da dona Iracema sendo que a mesma ficou muito satisfeita com a visita e deu os nomes de seus filhos para serem também arrolados na Escola Dominical. Foram feitas ainda visitas nas casas dos irmãos José Ferreira Pinto, Humberto Lúcio Bruneli, Manoel Messias de Souza e Antônio Júlio. Todas essas pessoas simpatizaram-se com o trabalho e deram seus nomes e os de seus filhos para fazerem parte da Escola Dominical.
Em 1958, foi adquirido o lote de terreno onde até hoje está a igreja, e a 22 de Julho do mesmo ano, iniciou-se a construção do templo. O Rev. Manoel S. do Nascimento colocou-se à disposição da Igreja como oficial de pedreiro. Colaborou também para este trabalho, fazendo ofertas especiais, o Rev. William A. Harrel. Entusiasmados, os irmãos José Ernesto Assumpção Filho e sua esposa fizeram a doação de um lote ligado pelos fundos com o terreno da igreja, local onde  o templo  permanece até hoje.
Embora com o templo inacabado, a congregação reuniu-se pela primeira vez em culto especial, no dia 26 de Julho de 1959, ocasião em que o Rev. Almir Pereira Bahia, pastor da Igreja Central de Juiz de Fora, pregou para um número considerável de pessoas, apelando para que os presentes fizessem uma oferta especial para a continuidade deste trabalho. Dias depois, é o Rev. William que novamente aparece para ofertar 46 cadeiras usadas em nome do “Instituto Granbery”.
Daí em diante, mesmo com o templo inacabado, faltando piso, forro e algumas instalações, a Escola Dominical e os cultos de louvor passaram a ser realizados normalmente, contando com a simpatia de todos os crentes.
Neste ano, por deliberação do Concílio Regional da 4ª Região Eclesiástica, passamos a integrar a Paróquia de Monte Castelo-Benfica e Lima Duarte, recebendo como pastor o jovem aspirante ao ministério Adahyr Cruz. Nesta situação é Benfica elevada à categoria de igreja.
  
Acervo de memória/ Ministério de Comunicação





Nenhum comentário:

Postar um comentário