Ministérios


Estes são os Ministérios reconhecidos pela Igreja Metodista em Benfica, aos quais compete:

  1. Ministério de Apoio Administrativo (MAAD)

a)     Elaborar planos de trabalho para as atividades patrimoniais e financeiras da Igreja local.
b)     Coordenar e zelar pela ordem nas dependências da Igreja, bem como pelo uso adequado de suas instalações.
c)     Zelar pelos bens da Igreja local, procedendo aos trabalhos de conservação e manutenção necessários a sua preservação.
d)     Inventariar todos os bens da Igreja local, mantendo sua atualização.
e)     Dar parecer à CLAM e ao Concílio local sobre assuntos de administração patrimonial e econômico - financeiros tomando as providências executivas cabíveis.
f)      Acompanhar a execução do orçamento aprovado pela CLAM.
g)     Fazer cumprir o Regimento de Uso das Dependências e Bens Móveis da Igreja local, aprovado pelo Concílio local.
h)     Conscientizar os membros da Igreja sobre a responsabilidade e o privilégio de serem dizimistas, providenciando, assim, os recursos patrimoniais e financeiros necessários ao cumprimento da Missão, na área da Igreja local.
i)      Acompanhar e, se necessário, fiscalizar os procedimentos da Tesouraria, de conformidade com as normas e procedimentos vigentes.
j)      Cuidar da administração de pessoal, realizando a contratação e dispensa destes, bem como a orientação e supervisão dos serviços prestados, acatando as decisões da CLAM e do Concílio Local;

Parágrafo Único – Os/as Tesoureiros/as da Igreja participam do Ministério de Ação Administrativa como membros ex- ofício.


  1. Ministério da Ação Social

a)     Prioritariamente identificar e cuidar da situação familiar dos membros carentes da Igreja no que tange a alimentação, finanças, saúde e comunhão com a igreja, através de acompanhamento sistemático, em parceria com demais ministérios e líderes de células, organizando cadastro de pessoas assistidas, estabelecendo critérios de prestação e período de assistência.
b)     Levantar recursos para a obra de Assistência Social realizando, Campanhas, Cantinas, Almoço, Bazares, etc.
c)     Buscar constantemente fazer parcerias com instituições governamentais e não governamentais, a fim de sedimentar projetos mais ousados na área social.
d)     Orientar o estudo e aplicação do Credo Social da Igreja Metodista na Igreja Local;
e)     Realizar seminários, encontros etc., que visem ao esclarecimento quanto aos males sociais, tais como: a exploração da mulher e do sexo, os jogos de azar e loterias, bebidas alcoólicas, drogas e o fumo, que contribuem para a destruição da saúde física, mental e espiritual do ser humano e da família;
f)      Promover cursos profissionalizantes e educacionais.
g)     Organizar instituições de ação social (AMAS), a serem administradas por membros da Igreja Local;
h)     Coordenar, executar e planejar atividades do Projeto Sombra e Água Fresca.

  1. Ministério de Comunicação e Eventos
 a)     Manter a igreja informada dos atos internos e externos de interesse geral da igreja.
b)     Executar o trabalho de relações públicas da Igreja local, de acordo com a ocasião, ouvido o Pastor.
c)     Divulgar junto à comunidade, todas as atividades da Igreja local, bem como da Igreja Metodista em geral.
d)     Cuidar dos quadros de avisos e aniversariantes, controlando os serviços e distribuição de cartazes, murais, e propaganda no âmbito da Igreja local.
e)     Cuidar da preparação e elaboração do Boletim Semanal, e demais publicações da Igreja locais, tais como jornais, folhetos, folders, etc.
f)      Ficar responsável pela divulgação na mídia e pela confecção de materiais para qualquer evento da igreja.
g)     Responsabilizar-se por programas de rádio e/ou TV da Igreja local.
h)     Responsabilizar-se pela publicação de anúncios e matérias nos jornais e sites da cidade.
i)      Enviar artigos e notas para a publicação nos periódicos regionais e nacionais da Igreja Metodista.
j)      Trabalhar na organização e execução de eventos da Igreja local, com exceção dos eventos promovidos pelos ministérios, sob orientação da equipe pastoral.
k)     Cuidar, em parceira com outros ministérios especialmente de Recepção e Acolhimento, do stand de materiais da igreja local no hall de entrada da igreja ou outro local apropriado.
l)      Responsabilizar-se pela manutenção e atualização do site da igreja, pelo menos semanalmente.

  1. Ministério de Mulheres

a)     Divulgar e angariar assinaturas para os periódicos da Igreja, tais como: No Cenáculo, Voz Missionária e outros;
b)     Preparar os elementos da Ceia do Senhor e zelar pela boa conservação dos utensílios envolvidos: bandejas, cálices, toalhas e outros;
c)     Providenciar os utensílios específicos para as cerimônias de batismo;
d)     Zelar pela conservação dos utensílios do púlpito e altar;
e)     Cuidar da atividade de Ornamentação da igreja para os cultos e as diversas dependências da igreja; especialmente em festividades, com motivos próprios;
f)      Realizar eventos e programações direcionadas ao universo feminino, tais como: cultos, discipulado, festas, confraternizações, evangelização, palestras, seminários, etc.
g)     Trabalhar pela inclusão das mulheres nos diversos serviços da igreja local.

  1. Ministério de Missões e Evangelização

a)     Elaborar o projeto do Plano de Missões e Evangelização da Igreja local.
b)     Coordenar junto aos demais Ministérios, as programações evangelísticas da Igreja.
c)     Promover estudos bíblicos, teológicos, históricos e estratégicos para o cultivo do espírito missionário dos membros da Igreja.
d)     Promover os objetivos missionários fixados pela igreja local, pela Região e pela Igreja em geral, procurando obter para eles apoio financeiro, pessoal, logístico e promocional.
e)     Realizar trabalhos tais como: Conferências Evangelísticas, com ampla divulgação em toda a cidade, valorização de trabalhos aos sábados, especialmente com a mocidade da igreja, periodicamente cultos em praças públicas, presídios, parques, etc, utilizando louvor, pregação, teatro, coreografias e outros, aproveitando para empreender evangelismo ostensivo no local onde se realiza o evento, realização intensa de evangelismo nas ruas e praças da cidade.
f)      Programas a distribuição de folhetos e porções bíblicas.

  1. Ministério de Louvor
 a)     Promover atividades musicais da Igreja, visando levar os membros, ao reconhecimento do seu valor como instrumento de louvor a Deus, através do cântico congregacional, corais, ou conjuntos musicais, etc.
b)     Cuidar para que o Regimento do Ministério de louvor seja conhecido e cumprido por todos os integrantes e aqueles que desejam participar do ministério.
c)     Cooperar em todas as atividades da Igreja com apoio musical.
d)     Promover o programa de capacitação musical instrumental e vocal que abranja todas as áreas e faixas da Igreja.
e)     Sugerir, ao Ministério de Administração, a compra, conserto, afinação ou mesmo alienação de instrumentos musicais ou seus acessórios.
f)      Zelar pelo bom funcionamento dos instrumentos musicais, microfones, caixas de som, mesa de som, amplificador, data show, computadores e outros durante seu uso pelo ministério.
g)     Incentivar e colaborar para formação de uma escola de música e adoração que capacite e aperfeiçoe todas as áreas de atuação do ministério.


 7. Ministério de Oração e Intercessão

a)     Promover, sob a supervisão da equipe pastoral, reuniões de oração no templo ou nas casas.
b)     Cultivar e incentivar a igreja na prática da vida de oração, jejum, santificação e Comunhão com o Senhor.
c)     Incentivar os membros da igreja na prática da oração para o crescimento espiritual e a intercessão em favor de todas as pessoas e autoridades, em todos os lugares e momento.
d)     Programar e dirigir juntamente com a equipe pastoral, os programas de Vigílias, campanhas e Jejuns, estimulando o crescimento espiritual da igreja.
e)     Auxiliar com intercessão nos cultos e atividades da Igreja, tendo escala de intercessores para todos os cultos de celebração da igreja e em outros momentos quando solicitado.
f)      Realizar seminários e ministrações específicas sobre libertação, cura interior, intercessão e outros temas relacionados, tanto para a Igreja local como para o próprio ministério.

  1. Ministério de Trabalho com Crianças

a)     Promover ensino às crianças direcionado por faixa etária.
b)     Promover cultos infantis, Escola Bíblica de Férias (EBF) e outras atividades em que as crianças possam participar.
c)     Promover no horário do culto da igreja, um momento especial de culto de celebração com as crianças onde elas sejam ministradas em linguagem apropriada.
d)     Promover lazer e brincadeiras com as crianças em local e horário previamente escolhido.
e)     Tornar o ensino agradável e satisfatório usando métodos criativos (fantoches, teatros, música, etc)
f)      Envolver as crianças nas festividades da Igreja, coordenando em parceria com outros ministérios da igreja a participação efetiva das crianças em atividades da igreja, tais como: Louvor, dança, teatro, coreografias, corais, etc;
g)     Realizar encontros, acampamentos, retiros, EMPACTO Kid’s, para as crianças.
h)     Trabalhar para despertar a vocação para o trabalho com crianças, capacitando os interessados através de palestras, cursos, seminários e outros.
i)      Priorizar, coordenar e executar o trabalho em conjunto em prol do bem estar e crescimento espiritual, físico, emocional e pessoal das crianças através da implantação e acompanhamento das células de crianças, culto no lar com as crianças e culto de celebração infantil na igreja, produzindo e orientando materiais para serem usados nesses ambientes.

  1. Ministério de Visitação

a)     Organizar grupos de visitação a membros da Igreja, principalmente aos novos membros da igreja local, a fim de melhor e mais rapidamente integrá-los na comunidade; a visitantes e interessados, com ênfase na consolação dos enfermos, dos que tiverem perdido pessoas queridas e na recuperação dos afastados dos trabalhos da igreja.
b)     Organizar grupos de visitação aos enfermos nos hospitais aos internados em orfanatos e asilos de idosos, distribuindo material de motivação e atendendo, em conjunto com os demais ministérios da Igreja as suas necessidades.
c)     Identificar oportunidades para o estabelecimento de trabalhos regulares nas instituições visitadas, dando ciência a equipe pastoral e ao ministério de Missões e evangelização.
d)     Identificar pessoas que possam vir a serem recebidas como membros da Igreja, entregando seus endereços ao ministério de consolidação para que seja feito o acompanhamento pessoal.
e)     Capacitar e criar equipe de visitadores, visando o aconselhamento, a orientação, a instrução e o auxílio às necessidades materiais;
f)      Controlar as visitas feitas, pedindo relatórios por escrito dos visitadores, para o devido acompanhamento; encaminhando casos especiais para a equipe pastoral.

  1.  Ministério de Recepção e Acolhimento

a)   Receber e cadastrar os visitantes nas diversas reuniões da Igreja, especialmente nos Cultos de celebração, inteirando-se dos motivos da visita, tudo fazendo para que o visitante se sinta bem em nosso meio, encaminhando-os a um lugar nos bancos com simpatia e amor.
b)   Agradecer pelo correio, e-mail ou telefone as visitas recebidas.
c)   Baseado na entrevista de recepção, informar a equipe pastoral e ao Ministério de Oração, Visitação e consolidação os nomes das pessoas que precisam ser visitadas, acompanhadas e discipuladas.
d)   Distribuir os boletins e demais impressos na entrada do templo;
e)   Manter a ordem para que o culto seja edificante; cuidando inclusive para que não fiquem aglomerados de pessoas nas portas de acesso ao templo e outras situações que gerem desconforto ou desatenção das pessoas nos cultos de celebração e outros programas da Igreja.
f)    Ficar em espírito de intercessão para que haja ação do Espírito Santo na vida dos que participam dos cultos e eventos.
g)   Trabalhar para promover a integração dos visitantes às atividades da Igreja. Encaminhando e acompanhando os mesmos para as células, cultos da mocidade, sala de escola dominical, etc.
h)   Cuidar, em parceira com outros ministérios especialmente de Comunicação e eventos, do stand de materiais da igreja local no hall de entrada da igreja ou outro local apropriado.

  1.  Ministério de Consolidação

a)     Recrutar pessoas para serem consolidadores dos novos convertidos;
b)     Organizar e ministrar treinamento para consolidadores; inclusive das células.
c)     Realizar reuniões de oração. Planejamento e avaliação do processo de solidificação dos novos convertidos com a Igreja e as células;
d)     Quebrar barreiras e romper obstáculos para maior integração entre os novos convertidos e membros da Igreja.
e)     Preparar e escalar uma equipe para estar a postos nos momentos dos apelos, indo à frente para assistir ao decidido; acompanhar o decidido na Sala de Consolidação e preenchendo a ficha de decisão.
f)      Cuidar e organizar a Central de Consolidação, zelando pelas fichas de decisão, telefonando para cada um dos que foram a frente no apelo, promovendo  uma visita aos novos convertidos e encaminhando a um consolidador individual da igreja ou das células.
g)     Assegurar-se de que o decidido foi acomodado em uma das células e está sob o cuidado de um líder e/ou consolidador individual;

  1.  Ministério de Ação Docente – Escola Dominical

a)     Organizar e manter o funcionamento das Escolas Dominicais na área territorial da Igreja Local com o objetivo de evangelizar e edificar espiritualmente seus (suas) alunos (as);
b)     Programar as comemorações do calendário litúrgico e cristão para a Igreja Local;
c)     Promover palestras, estudos e outros meios educativos que levem os membros da Igreja Local ao reconhecimento do valor da educação;
d)     Realizar fóruns, painéis, mesas-redondas e seminários sobre assuntos de interesse da comunidade;
e)     Organizar cursos de preparação de obreiro da Escola Dominical.
f)      Promover estudos bíblicos, teológicos, históricos e outros para o cultivo do espírito missionário e evangelizante dos membros da Igreja Loca;
g)     Trabalhar de forma integrada com os demais Ministérios da Igreja Local, para o estabelecimento de nossas prioridades missionárias.

  1.  Ministério de Audiovisual

a)     Criar e produzir material artístico audiovisual, promovendo a edificação da Igreja, a evangelização e a adoração à Deus;
b)     Criar e produzir peças gráficas, imagens e sons, auxiliares nos trabalhos da Igreja e seus ministérios;
c)     Gravar e registrar as mensagens, momentos de adoração, expressões artísticas, e outras julgadas pertinentes, propagando o conteúdo em mídia on-line (internet) e mídias off-line (CD e DVD)
d)     Treinar e capacitar membros da Igreja interessados em integrar o ministério;
e)     Transmitir, via sistema Web Rádio, AVI (vídeo link) ou online via internet, os programas e atividades da Igreja.
f)      Coordenar o conteúdo audiovisual dos cultos e eventos especiais (projeção, filmes, ilustrações, avisos, filmagens e edições).
g)     Executar por meio de escala a operação da mesa de som, cuidando e zelando pelos equipamentos e promovendo capacitação constante, permanecendo na mesa até o final do culto e desligando os equipamentos.
h)     Zelar pelos equipamentos em seu uso e guarda (mesa de som, equipamentos de som, computadores,  projetores, câmeras, instrumentos, microfones, etc), em parceria com o ministério de louvor, preparando todo o equipamento relacionado ao som, no mínimo 30 min. antes de cada programação, e inclusive participando dos momentos de ensaios regulares dos ministérios.
i)      Ter conhecimento da ordem do culto para eventuais operações de CDs em participações especiais (solos, coreografias, coros e etc.) ou projeções no data show.

  1.  Ministério da Família
a)     Este ministério cuidará dos casais e famílias pertencentes à nossa Igreja, tanto na área espiritual como matrimonial.
b)     Criar, desenvolver e coordenar a criação de grupos de discipulado e cursos para casais.
c)     Promover Encontros e Palestras referentes à assuntos pertinentes à família (relacionamento conjugal, educação dos filhos, harmonia familiar…)
d)     Organizar e promover programações diversas para as famílias e casais da igreja, tais como: Congressos da Família, eventos de integração familiar, passeios com as famílias, jantares de casais, jantares de namorados, Dia da Família Metodista, etc.
e)     Incentivar a prática do Culto da Família, com o objetivo de melhor assistir às famílias de nossa Igreja. Proporcionando um momento de reflexão familiar, com estudos e orientações, aliando-se o momento de louvor a Deus em agradecimento pelas nossas famílias).
f)      Promover maior integração entre os casais, realizando momentos de oração e intercessão, orientações a condutas e envolvê-los nos projetos do ministério.
g)     Promover visitas assistenciais às famílias da Igreja, auxiliando os casais em que sejam identificados problemas familiares.
h)     Promover a realização do Encontro de Casais em nossa Igreja Local.

  1. Ministério de Dança

a)   Adorar a Deus e proclamar sua palavra por meio do movimento e da  dança, como meio de levar o evangelho de forma criativa.
b)   Participar nas celebrações da Igreja (tanto no momento de louvor com danças espontaneas, como com coreografias ensaiadas durante o culto) , em projetos evangelísticos (festivais de dança, evangelismo nas ruas, viagens missionárias) de ação social (projetos em bairros e escolas, visitas em asilos e lares)
c)   Promover oficinas para treinamento e consolidação da visão com várias faixas etárias da Igreja.
d)   Organizar grupos de dança com diversas faixas etárias da igreja: crianças, adolescentes, jovens e adultos.
e)   Estar sempre em harmonia com os propósitos definidos pela Igreja local, sua Liderança e equipe pastoral.


  1.  Ministério de Teatro
a)     Alcançar vidas para Cristo e edificar os membros do Corpo através das artes cênicas, apoiando ministérios da igreja e proporcionando crescimento, maturidade espiritual e artística para os integrantes.
b)     Organizar grupos teatrais trazendo treinamento necessário aos participantes.
c)     Pesquisar temas e verificar as necessidades de outros Ministérios e departamentos para realizar apresentações.
d)     Estar sempre em harmonia com os propósitos definidos pela Igreja local, sua Liderança e equipe pastoral.
e)     Preparar e apresentar peças teatrais sempre que possível, priorizando as datas comemorativas do calendário cristão ( Natal, Páscoa, Pentecostes, etc), as datas comemorativas da igreja local e demais programações e cultos de celebração regulares da Igreja.
f)      Utilizar do teatro como forma criativa de evangelismo e em parceira com o Ministério de Missões e Evangelização, promover apresentações em espaços fora do templo de peças evangelísticas.


Do Secretário da Igreja Local

Art. 31º – O Secretário da Igreja local é escolhido pela Coordenação Local de Ação Missionária (CLAM), que encaminha seu nome para homologação pelo Concílio local conforme parágrafo único art. 146 dos Cânones/2007/2007.
Parágrafo Único – Os candidatos a Secretário serão indicados pela CLAM, ouvidas sugestões da Igreja, procedendo a sua eleição posteriormente.
Art. 32º - A competência do Secretário está definida no Art. 134 dos Cânones/2007, como segue:

  1. Lavrar as atas das reuniões do Concílio Local, da Coordenação Local de Ação Missionária, registrá-las e assiná-las juntamente com o presidente;
  2. Conservar, devidamente arquivados, os documentos da secretaria e os demais documentos da Igreja Local;
  3. Comunicar à Igreja Local e interessados, as deliberações tomadas pela Coordenação Local de Ação Missionária e pelo Concílio Local;
  4. Comunicar à Secretaria Executiva Regional da Associação da Igreja Metodista as resoluções que demandem a sua atuação, inclusive o traslado da ata que consigne o pedido para alienação de bens patrimoniais ou outra providência que demande seu pronunciamento ou do Concílio Regional;
  5. Enviar ao Bispo/Bispa-presidente os nomes de candidatos/as:
·       Aos cursos teológicos da Igreja Metodista;
·       Às ordens da Igreja Metodista;
·       À readmissão de ex-membro clérigo;
·       À consagração como evangelista, se membro leigo;
  1. Apresentar os livros e documentos da Secretaria à exame, na forma determinada pelo Concílio Local;
  2. Arrecadar e arquivar os livros encerrados e os documentos que lhe são confiados;
  3. Zelar pela conservação do material em seu poder;
  4. Entregar ao seu sucessor ou sucessora os livros e documentos em uso e todo o material de arquivo da igreja local.

Da Tesouraria

Art. 33º - A Tesouraria é exercida pelos/as Tesoureiro/as escolhidos/as pela CLAM tendo o nome homologado pelo Concílio local, integrante do Rol de membros da Igreja local, conforme parágrafo único, art. 146 dos Cânones/2007.
Art. 34º - A competência da Tesouraria está indicada no Art. 142 dos Cânones/2007.

1.     Encarregar-se da contabilidade e escrituração dos livros de “movimentação diária” (livro caixa, livro de conta corrente ou livro eletrônico) e “livro grade”;
2.     Receber e depositar, em bancos que o Concílio Local determinar, os recursos financeiros da Igreja Local;
3.     Efetuar o pagamento das despesas orçadas pelo Concílio Local assim como das despesas eventuais;
4.     Apresentar mensalmente o relatório financeiro à Coordenação Local de Ação Missionária;
5.     Remeter mensalmente à Tesouraria do Concílio Regional as quotas orçamentárias, ofertas e outras importâncias destinadas a fundos distritais, regionais e gerais ou a outros destinatários quando se tratar de ofertas vinculadas;
6.     Descontar, dos pagamentos que efetue, os impostos, taxas e contribuições recolhidos na fonte e os encargos sociais devidos à Previdência Social e recolhê-los à entidade correspondente, de acordo com as leis em vigor;
7.     Relatar ao Concílio Local e à Coordenação Local de Ação Missionária, enviando cópia do seu relatório anual ao/à Bispo/Bispa-presidente, Superintendente Distrital e Secretaria Executiva Regional da Associação da Igreja Metodista, na forma por ela determinada, para fins de declaração de rendimentos da Associação da Igreja Metodista, juntando as segundas vias de todos os recibos que resultem em dedução de imposto de renda;
8.     Divulgar o balancete financeiro, mensalmente, junto à Igreja Local e encaminhar cópia ao órgão regional competente;
9.     Movimentar conta bancária em nome da Associação da Igreja Metodista, assinando juntamente com outros procuradores indicados pela Coordenação Local de Ação Missionária e homologados pelo Concílio Local, e, na ausência destes, os substitutos legais.

Art. 35º - As atividades da Tesouraria obedecerão às “Normas de administração Econômico-Financeira”, (Art. 193 a 196 dos Cânones/2007), e às Normas de Funcionamento da Tesouraria da Igreja Local, aprovados pelo Concílio local.
Art. 36º - Os responsáveis pelos diversos órgãos da Igreja local podem credenciar pessoas para auxiliar o tesoureiro, no âmbito de suas organizações, encarregando-se do levantamento de recursos e pagamentos decorrentes do seu funcionamento, sujeitando-se à imediata prestação de contas perante a tesouraria.
Art. 37º - A movimentação de contas bancárias, todas obrigatoriamente em nome da Associação da Igreja Metodista, serão feitas pelo Tesoureiro em conjunto com o Coordenador do Ministério da Ação Administrativa, mediante procuração outorgada pela associação da Igreja Metodista.

                                 (Extrato do Regimento Interno da Igreja Metodista em Benfica)





 Ao/à Coordenador/a do Ministério compete:

1.  Organizar a distribuição de tarefas e monitorar a execução das atividades, fornecendo apoio aos membros e auxiliando no cumprimento do plano de ação do Ministério;
2.  Coordenar a elaboração do Plano de Ação do Ministério, esforçando-se por mantê-lo alinhado às diretrizes estabelecidas pela Visão Local, Regional e Nacional da Igreja, bem como mantê-lo em acordo com o Plano para a Vida e Missão da Igreja, Cânones, Regimentos e Plano de Ação da Igreja Local;
3.  Articular-se com as áreas de Comunicação Regional e Nacional e prestar informações solicitadas;
4.  Representar ou instituir representante do Ministério em reuniões, congressos, e outros eventos;
5.  Participar das reuniões da Coordenação Local de Ação Missionária (CLAM), enviando suplente, preferencialmente o/a Vice Coordenador/a quando não puder fazê-lo.
6.  Relatar a equipe pastoral e a CLAM os Planos de Ação do Ministério;
7.  Estimular o exercício da mordomia cristã entre os membros do Ministério e entre os demais membros da Igreja, incentivando a participação de pessoas vocacionadas no Ministério;
8.  Esforçar-se por garantir o entrosamento e a colaboração com os demais ministérios e Instituições locais, visando o bom andamento do trabalho da Igreja;
9.  Convocar e dirigir as reuniões do Ministério;
10.   Conduzir à CLAM e a equipe pastoral propostas formuladas pelos membros do Ministério;
11.   Esforçar-se por cumprir e fazer cumprir as determinações do Regimento Interno da Igreja;
12.   Atualizar-se acerca da Agenda da Igreja Local e informar-se sobre as programações, planos e metas relevantes das Áreas Local, Distrital, Regional e Nacional;
13.  Solicitar, quando necessário, ao Tesoureiro, Ministério de Administração ou CLAM autorização para gastos necessários para o cumprimento das tarefas.

Compete ao/à Vice Coordenador/a do Ministério:

1.      Substituir o/a Coordenador/a na execução de suas tarefas e atribuições quando o/a mesmo/a não puder fazê-lo.
2.      Apoiar o/a Coordenador/a em todas as decisões tomadas, como também em todas as programações do ministério.
3.      Trabalhar e acompanhar o desenvolvimento do ministério, incentivando a participação de pessoas vocacionadas no Ministério.
4.      Estar pronto a cumprir as tarefas que lhe forem confiadas pelo/a coordenador/a.
5.      Participar ativamente das reuniões e colocar-se a par do andamento das atividades do Ministério;
6.      Como membro do Ministério, cooperar com a execução das tarefas do Ministério.
7.      Registrar em livro ou documento apropriado as deliberações tomadas nas reuniões do ministério.

(Extrato do Regimento Interno da Igreja Metodista em Benfica)

3 comentários:

  1. Ministro de música


    1. Toda pessoa tem o sagrado direito de frequentar os cultos e atividades da igreja e de sentir-se muito feliz, sereno, confortado, em qualquer idade.

    2. O ouvido tem alta sensibilidade e suporta confortavelmente, por uma, duas horas, no máximo, 50 decibéis. Passou disso, além do mal que faz à saúde, incomoda muito.

    3. Todo instrumento pode ser usado no louvor, mesmo sabendo que há aqueles próprios para o culto.

    4. Culto não é show.

    5. Não existe hino ou música velhos.

    6. É preciso selecionar hinos próprios para cada ocasião, com mensagem, poesia, melodia, harmonia, ritmo. Ritmos assincrônicos desorganizam a química cerebral. Derrubam pessoas e até muros. Josué 6:20 Juízes 7:18

    7. Fundo musical durante o culto não pode interferir, desconcentrar, incomodar; use-o com muita inteligência. Ninguém suporta um teclado dedilhado pra lá e pra cá, aleatoriamente. Se for um hino próprio para a ocasião, baixinho, tudo bem, mas notas soltas...nem pensar.

    8- A música tem o poder de mobilizar as estruturas mentais.


    9- Culto animado não é sinônimo de barulho. Reverência, participação, adoração, comunhão, consagração, dedicação, apontam para o equilíbrio. O templo não é um lugar sombrio, triste, com silêncio sepulcral, é um espaço de alegria, louvor, transformação, decisões.


    10- Se você faz parte da equipe de músicos, nunca fique se distraindo e brincando com os instrumentos no altar, após o culto.

    “E Quenanias, príncipe dos levitas, tinha cargo de entoar o canto; ensinava-os a entoá-lo, porque era entendido nisso.” 1º livro de Crônicas 15.22.


    Ivone Boechat

    ResponderExcluir
  2. Ministro de música


    1. Toda pessoa tem o sagrado direito de frequentar os cultos e atividades da igreja e de sentir-se muito feliz, sereno, confortado, em qualquer idade.

    2. O ouvido tem alta sensibilidade e suporta confortavelmente, por uma, duas horas, no máximo, 50 decibéis. Passou disso, além do mal que faz à saúde, incomoda muito.

    3. Todo instrumento pode ser usado no louvor, mesmo sabendo que há aqueles próprios para o culto.

    4. Culto não é show.

    5. Não existe hino ou música velhos.

    6. É preciso selecionar hinos próprios para cada ocasião, com mensagem, poesia, melodia, harmonia, ritmo. Ritmos assincrônicos desorganizam a química cerebral. Derrubam pessoas e até muros. Josué 6:20 Juízes 7:18

    7. Fundo musical durante o culto não pode interferir, desconcentrar, incomodar; use-o com muita inteligência. Ninguém suporta um teclado dedilhado pra lá e pra cá, aleatoriamente. Se for um hino próprio para a ocasião, baixinho, tudo bem, mas notas soltas...nem pensar.

    8- A música tem o poder de mobilizar as estruturas mentais.


    9- Culto animado não é sinônimo de barulho. Reverência, participação, adoração, comunhão, consagração, dedicação, apontam para o equilíbrio. O templo não é um lugar sombrio, triste, com silêncio sepulcral, é um espaço de alegria, louvor, transformação, decisões.


    10- Se você faz parte da equipe de músicos, nunca fique se distraindo e brincando com os instrumentos no altar, após o culto.

    “E Quenanias, príncipe dos levitas, tinha cargo de entoar o canto; ensinava-os a entoá-lo, porque era entendido nisso.” 1º livro de Crônicas 15.22.


    Ivone Boechat

    ResponderExcluir
  3. Muito bom, sabedoria e discernimento do céu em todo texto; meus parabéns e que O Senhor continue abrindo sua menta a respeito do reino!

    ResponderExcluir